Pesquisa personalizada

quinta-feira, 31 de março de 2011

Petição para auditoria imediata das contas do Estado


“A situação financeira, económica, social e política, de Portugal é ruinosa. No plano financeiro, o endividamento do Estado e a incapacidade de o Governo suster o crescimento da despesa provocaram um aumento incomportável da taxa de juro e impedem o financiamento do Estado para que este possa solver os seus compromissos. No plano económico, assiste-se, sem reacção governativa eficaz, à falência e ao encerramento de empresas e à diminuição da produção. No plano social, a redução do rendimento e o aumento do desemprego asfixiam as famílias, reduzem o bem-estar das comunidades e forçam à emigração. No plano político, verifica-se a deriva ditatorial do governo, que desrespeita a Constituição, restringe a liberdade e distorce a democracia.

A desconfiança no Governo não é apenas dos credores. Os cidadãos portugueses estão perplexos face ao descontrolo da despesa, ao falhanço de todas as previsões do Governo e à apresentação de sucessivos planos de estabilização financeira que logo são substituídos por outros. A taxa de juro subiu acima do ponto de não-retorno (8,86% na taxa das obrigações do Estado, a cinco anos, em 29-3-2011), mas o Governo afirma que não pede socorro financeiro à União Europeia/FMI e tenta empréstimos em condições gravosas.

Perante o colapso, vão ser convocadas eleições legislativas antecipadas. O Governo não pode distorcer a democracia com uma organização enviesada do sufrágio, como sucedeu nas últimas eleições - legislativa e presidencial -, subvertendo as regras do processo eleitoral democrático. Não pode haver eleições verdadeiramente livres e justas sem uma imprensa livre da tutela directa e indirecta do Governo PS, sem que todos os eleitores saibam qual é a sua assembleia de voto (resolvendo a trapalhada do voto de eleitores com cartão do cidadão) e, principalmente, sem ser informado da situação financeira do Estado e do seu sector empresarial.
No momento actual do País, a falta de conhecimento da verdadeira situação das contas do Estado, e do seu sector empresarial, é a principal preocupação do País. O povo não sabe. E tem o direito de saber.

Assim sendo, os cidadãos abaixo identificados requerem aos partidos representados na Assembleia da República, com o patrocínio do Presidente da República, a designação urgente de uma equipa para a realização imediata de uma auditoria independente e rigorosa das contas do Estado, através da Unidade Técnica de Apoio Orçamental do Parlamento, do Banco de Portugal e do Tribunal de Contas, e a publicação de um relatório, até à data de início da campanha eleitoral, sobre a situação financeira do Estado e do seu sector empresarial”.

Os signatários

Assinar petição
Petição para auditoria imediata das contas do Estado


Paulo Futre "Remix" / Alvim / 5 Para a Meia Noite

terça-feira, 29 de março de 2011

Os amigos são como os parafusos, só sabemos que é bom na hora do aperto…



Portugal ainda tem amigos, o jornal irlandês Sunday Independent, na sua edição do passado domingo, no seu editorial em forma de carta, deixa alguns conselhos a Portugal em relação a um cada vez mais provável pedido de ajuda externa e consequente entrada do FMI em Portugal.

«Bit of friendly advice, Portugal

Sunday March 27 2011

Dear Portugal, this is Ireland here. I know we don’t know each other very well, though I hear some of our developers are down with you riding out the recession.

They could be there for a while. Anyway, I don’t mean to intrude but I’ve been reading about you in the papers and it strikes me that I might be able to offer you a bit of advice on where you are at and what lies ahead. As the joke now goes, what’s the difference between Portugal and Ireland? Five letters and six months.

Anyway, I notice now that you are under pressure to accept a bailout but your politicians are claiming to be determined not to take it. It will, they say, be over their dead bodies. In my experience that means you’ll be getting a bailout soon, probably on a Sunday. First let me give you a tip on the nuances of the English language. Given that English is your second language, you may think that the words ‘bailout’ and ‘aid’ imply that you will be getting help from our European brethren to get you out of your current difficulties. English is our first language and that’s what we thought bailout and aid meant. Allow me to warn you, not only will this bailout, when it is inevit-ably forced on you, not get you out of your current troubles, it will actually prolong your troubles for generations to come.

For this you will be expected to be grateful. If you want to look up the proper Portuguese for bailout, I would suggest you get your English-Portuguese dictionary and look up words like: moneylending, usury, subprime mortgage, rip-off. This will give you a more accurate translation of what will be happening you.

I see also that you are going to change your government in the next couple of months. You will forgive me that I allowed myself a little smile about that. By all means do put a fresh coat of paint over the subsidence cracks in your economy. And by all means enjoy the smell of fresh paint for a while.

We got ourselves a new Government too and it is a nice diversion for a few weeks. What you will find is that the new government will come in amidst a slight euphoria from the people. The new government will have made all kinds of promises during the election campaign about burning bondholders and whatnot and the EU will smile benignly on while all that loose talk goes on.

Then, when your government gets in, they will initially go out to Europe and throw some shapes. You might even win a few sports games against your old enemy, whoever that is, and you may attract visits from foreign dignitaries like the Pope and that. There will be a real feel-good vibe in the air as everyone takes refuge in a bit of delusion for a while.

And enjoy all that while you can, Portugal. Because reality will be waiting to intrude again when all the fun dies down. The upside of it all is that the price of a game of golf has become very competitive here. Hopefully the same happens down there and we look forward to seeing you then.

Love, Ireland.

Sunday Independent»

PS: Esta amiga Irlanda segue a velha máxima, “olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço”, de qualquer forma, Irlanda, grande amiga, um muito obrigado, veremos se Portugal vai seguir os conselhos.

Rui Unas,Paulo Futre - o melhor restaurante chinês de Lisboa! eu tentei mas não consegui resistir...

O Cinza Coelho descobriu o jogador chinês de Futre e mostra quem é em primeiríssima mão...

Presidente Chinês confirma palavras de Paulo Futre

sábado, 26 de março de 2011

Prémio Nobel da Economia Paul Krugman, sobre a crise portuguesa.


O economista norte-americano e Prémio Nobel da Economia Paul Krugman considerou Portugal como um exemplo do erro de reduzir a despesa pública quando existe um desemprego elevado, em coluna de opinião publicada no "The New York Times", hoje reproduzida no jornal "i".

O economista norte-americano e Prémio Nobel da Economia Paul Krugman considerou Portugal como um exemplo do erro de reduzir a despesa pública quando existe um desemprego elevado, em coluna de opinião publicada no "The New York Times", hoje reproduzida no jornal "i". Portugal é invocado, a par de Irlanda, Grécia e Reino Unido, a propósito do debate sobre a situação orçamental nos Estados Unidos. Para o economista, "a estratégia correcta é [criar] empregos agora, [reduzir] défices depois".

Krugman entende que estão errados "os advogados da austeridade que prevêem que os cortes da despesa trarão dividendos rápidos na forma de uma confiança crescente e que terão pouco, se algum, efeito adverso no crescimento e no emprego".

Justifica a preferência pelo adiamento da redução do défice com o argumento de que "os aumentos dos impostos e os cortes na despesa pública deprimirão ainda mais as economias, agravando o desemprego".

Acrescenta, a este propósito, que "cortar a despesa numa economia muito deprimida é muito auto-derrotista, até em termos puramente orçamentais", uma vez que "qualquer poupança conseguida é parcialmente anulada com a redução das receitas, à medida que a economia diminui".

O Prémio Nobel da Economia lamenta que a estratégia que recomenda tenha sido "abandonada perante riscos inexistentes e esperanças infundadas". Pormenoriza: "Dizem-nos que se não reduzirmos a despesa imediatamente, acabaremos como a Grécia, incapaz de se financiar sem ser com exorbitantes taxas de juro". "Se os investidores decidirem que somos uma república das bananas, cujos políticos não podem ou não querem encarar os problemas de longo prazo" será atingida a situação da Grécia, especifica. "Deixarão de comprar a nossa dívida", admite.

Krugman adianta que "um plano orçamental sério (...) trataria dos motores da despesa a longo prazo, acima de todos os custos com os cuidados de saúde, e quase de certeza que incluiria algum tipo de aumento de impostos".

O Prémio Nobel considera que o debate sobre a política orçamental nos Estados Unidos "não está a ser sério" e que "toda a conversa é sobre cortes de despesa de curto prazo". Depois de descrever o clima político existente nos EUA como um em que os defensores dos cortes orçamentais "querem punir os desempregados", Krugman prevê: "Os contos de fadas sobre a confiança não nos salvarão das consequências dos nossos disparates".

O Messias de Alvalade.



Finalmente terminou a campanha para a presidência do Sporting, é que eu já não aguentava mais, primeiro foram aparecendo os nomes dos candidatos no total de cinco candidaturas, nada mau para um clube falido, mas a minha maior surpresa foi quando começaram a aparecer nomes de jogadores, foi com muito receio que ao longo das últimas semanas diariamente abri o jornal temendo o momento em que seria anunciado como trunfo eleitoral o Cristiano Ronaldo ou o Messi ou então o anúncio do Mourinho como treinador, ou pior ainda, anunciarem a águia Vitória como símbolo do Sporting, mas felizmente o pior não aconteceu.

Mas as eleições do Sporting deram-me uma grande esperança, porque se é possível transformar um clube que em Janeiro teve que vender o seu melhor jogador (Liedson) por uma verba irrisória para equilibrar as finanças, num clube que tem dinheiro para comprar jogadores de top mundial, bem como treinadores mundialmente reconhecidos, então ainda há esperança para Portugal, basta pegar nas ideias dos candidatos do Sporting (principalmente aquela ideia peregrina do Futre de trazer chineses aos magotes), e aplica-la ao nosso país, aposto que Futre resolvia os problemas da divida e do défice portugueses no máximo em um ano, ele fintaria a crise com a mesma facilidade com que nos seus tempos de jogador fintava os defesas adversários.

Na próxima época o Sporting será um sério candidato….ao terceiro lugar no campeonato, Braga, Vitória de Guimarães, Nacional da Madeira, Marítimo Paços de Ferreira etc. vão ter um adversário á altura na luta pelos lugares que dão acesso á liga Europa.

Para terminar faço um apelo, Futre para primeiro ministro de Portugal, é que o Futre a vender os computadores Magalhães de certeza que não ficaria atrás do Sócrates.

Futre, amigo o povo está contigo

Apresentado novo reforço para o Sporting

quinta-feira, 24 de março de 2011

Best of Sócrates - por incrível que pareça, Sócrates não tem um gémeo

Desempregado? Então tira curso de Político Gratuito...

Locutor da Rádio Comercial Vasco Palmeirim dedica música a José Sócrates

Volta Sócrates, estás PERDOADO!!!

Passos Coelho não deverá congelar pensões, mas pensa aumentar o IVA... Ao que parece saímos do diabo e vamo-nos meter na mãe... pobre Portugal, espera-te um triste fim, com esta corja de salafrários!!!

Wild Cat Sócrates... Ainda não é o fim da besta!!!

Cuidado com o o Wild Cat Sócrates, a besta não esta morta, e subestimar este felino de infindas vidas pode ser fatal para Passos Coelho.
Isto só acaba mesmo, quando a senhora gorda parar de cantar.





















And in the master's chambers,
They gathered for the feast
They stab it with their steely knives,
But they just can't kill the beast

quarta-feira, 23 de março de 2011

Um fim anunciado, a queda de Sócrates


Estão a acabar os dias de José Sócrates como primeiro-ministro de Portugal, depois de muitas trapalhadas deste governo, finalmente o inevitável aconteceu, agora seguem-se eleições legislativas antecipadas.

Com a queda do governo começaram a ser traçados cenários sobre quem ganhará as eleições, e consequentemente que governo sairá dessas eleições, com a possível eleição de um governo de direita, começam a aparecer muitos a dizer que um governo de direita será muito mau para Portugal, que será mau para os trabalhadores e para as classes mais desfavorecidas, temendo as políticas de direita, e eu pergunto, não foi Portugal governado nos últimos seis anos por um governo de esquerda?

Não foi o actual primeiro-ministro José Sócrates (um homem de esquerda), que foi eleito á seis anos com a promessa de criação de cento e cinquenta mil empregos, e volvidos seis anos Portugal têm uma taxa de desemprego superior a onze por cento?

Não foi o governo do PS (um partido de esquerda) o responsável por ao contrário do que tinha sido estabelecido em sede de concertação social, que previa que o salário mínimo nacional fosse actualizado em 1 de Janeiro de 2011 para os 500€, tendo sido corrigido esse aumento para os 485€?

Não foi o actual governo (de esquerda) que no famigerado PEC IV colocou como medida para combater o défice o congelamento das reformas, incluindo reformas de miséria de cerca de 200 euros, mas continua a querer avançar com o TGV?

Se tudo isto são políticas de esquerda, então que sejam bem-vindas as politicas de direita.

Pela minha parte o que me importa não é se as próximas eleições trarão um governo de esquerda ou de direita, mas sim se teremos um bom ou mau governo, pois os tempos que se avizinham serão tempos difíceis, a decisão está de novo nas mãos do povo, e será o povo a dizer quem quer á frente do país neste momento, talvez o momento mais difícil que o nosso país atravessa desde o 25 de Abril, espero que o governo que for eleito tenha a competência necessária para fazer as reformas que o país necessita para ultrapassar esta crise, que não faça como o actual governo que para atacar a crise ao invés de cortar no despesismo do estado, preferiu aumentar impostos, cortar em salários, cortar benefícios sociais, quando deveria acabar com organismos públicos sem outra utilidade que não seja dar emprego aos boys, também as empresas publicas que mesmo dando prejuízos avultados todos os anos os seus gestores são agraciados com prémios de milhões.

Por fim espero que nas eleições que se avizinham, não aconteça o que vem sendo habitual nas eleições, que mais de 50% dos portugueses preferem ficar em casa deixando nas mão dos outros decidirem o seu futuro, em democracia o povo é quem mais ordena.

“Dorme, mãe Pátria, nula e postergada,
E, se um sonho de esperança te surgir,
Não creias nele, porque tudo é nada,
E nunca vem aquilo que há-de vir.”

Fernando Pessoa

Elegia da sombra, 2 de Junho de 1935

ZECA SEMPRE | O Que Faz Falta

Onde está o Sócrates??

Procura-se bandido ruim, está desaparecido desde as 16h00, foi visto pela última vez a sair da assembleia da república, vestia terno preto… se alguém tiver avistado o perigoso malfeitor, é favor avisar as autoridades…

É hoje que o engenheiro Sócrates leva um chuto nos fundilhos...

sábado, 19 de março de 2011

Ultima hora, forças internacionais atacam forças militares de Khadafi


O presidente francês, Nicolas Sarkozy, disse este sábado que as forças aliadas sobrevoam já o espaço aéreo líbio para prevenir que o ataque do regime de Khadafi a Benghazi. «Os nossos aviões já estão a prevenir ataques aéreos à cidade», disse, acrescentando que a acção tem o apoio das forças britânicas, americanas e canadianas e sustentadas por nações árabes. Segundo fontes militares, são cinco os aviões de guerra franceses envolvidos no ataque: um AWAC de reconhecimento, dois Rafales e dois Mirages. Mais tarde foi referido que seriam já vinte as unidades no ar. Um porta-voz assegurou que um avião francês já atingiu o primeiro alvo líbio, mas a Al-Jazeera já fala em quatro tanques atingidos. Esta informação foi confirmada pelo ministério da defesa. Os ataques ocorrem numa zona entre 100 a 150 quilómetros à volta de Benghazi. Entretanto, também os Estados Unidos mobilizaram meios para o local. Segundo disse uma fonte oficial à agência Reuters, a Marinha americana já tem três submarinos no Mediterrâneo.


Itália envolvida Outro agente importante será a Itália, que vai fornecer bases de apoio ao ataque, segundo confirmou o primeiro-ministro Sílvio Berlusconi. Acrescentou, ainda, que aviões italianos poderão vir a participar nas acções contra o regime de Khadafi. O primeiro-ministro britânico David Cameron disse, entretanto, a jornalistas que o Khadafi quebrou o cessar-fogo pelo que irá sofrer as acções urgentes para evitar mais mortes de civis: «O coronel Khadafi é que é responsável por isto. Mentiu à comunidade internacional, prometendo o cessar-fogo e depois quebrou esse compromisso». «Continua a atacar o seu próprio povo, por isso tem de haver acção. Tem de ser urgente, temos de reforçar a vontade das Nações Unidas e não podemos permitir a morte de civis», acrescentou. Também Angela Merkel veio explicar o ataque, dizendo que «os poderes mundiais estão unidos na ideia de acabar com a violência na Líbia». Esclareceu que a Alemanha não vai participar nos ataques militares.

Hillary Clinton: “EUA vão disponibilizar meios militares contra Kadhafi”

Os Estados Unidos têm "capacidades únicas" militares e vão disponibilizá-las em apoio da coligação envolvida na operação militar na Líbia contra o regime de Muammar Kadhafi, disse hoje em Paris a chefe da diplomacia norte-americana, Hillary Clinton.

"A América tem capacidades únicas e vai disponibilizá-las", disse Clinton à imprensa depois da Cimeira de Paris.

"Vamos apoiar todas as medidas necessárias da coligação internacional para fazer aplicar a resolução 1973" do Conselho de Segurança da ONU, acrescentou.

"Kadhafi continua a desafiar o mundo, os ataques contra civis continuam. Qualquer novo atraso colocaria ainda mais civis em perigo", disse. "Temos todas as razões para recear que, sem controlo, Kadhafi cometa atrocidades indescritíveis", acrescentou.

A secretária de Estado norte-americana frisou, no entanto, que os Estados Unidos não tencionam enviar quaisquer tropas para a Líbia.

Hillary Clinton participou hoje na Cimeira sobre a Líbia que reuniu em Paris representantes da União Europeia, União Africana, Liga Árabe e ONU.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Miguel Sousa Tavares... e os Homens da Luta!!!


A vitória dos homens da luta, na última edição do festival da canção tem provocado grande polémica, eu pela minha parte devo dizer que à já muitos anos que o festival me passa completamente ao lado. Se não fosse pelas vozes que se levantaram contra a presença dos homens da luta no festival Eurovisão da canção como representantes de Portugal, nem me iria lembrar de quem seria o representante de Português em Dusseldorf, mas ao verificar a indignação de alguns arautos e delinquentes de opinião, que pretendem impedir o Jel e companhia de ir ao festival, subitamente este assunto despertou o meu interesse.
Uma das vozes que se levantou contra a eleição dos homens da luta como representantes lusos, foi Miguel Sousa Tavares, e então quais são os argumentos do MST?
Pois bem MST no seu espaço de comentário no jornal da noite na SIC disse que “não deixa de ser irónico pensar que esta canção, com esta letra, vá representar Portugal na Alemanha, em cuja plateia e em cujo televisores hão-de estar os alemães a quem nós andamos a pedir dinheiro”, ou seja a preocupação do MST é o que vão pensar os alemães de Portugal quando ouvirem esta música, se calhar o MST gostaria que a música que fosse representar Portugal fosse uma Volksmusik (música popular alemã), para prestarmos vassalagem à senhora Angela Merkel, como se não bastasse o Sócrates andar a lamber as botas dos alemães, agora o MST também queria que fossemos ao festival com uma canção que não desagradasse aos alemães.
Mas, do Miguel Sousa Tavares eu já espero de tudo, desde que ele num dos seus artigos de opinião confundiu a Declaração de Independência dos Estados Unidos, com a Constituição americana, eu só estranho que a este senhor ainda seja dado espaço na nossa comunicação social, para ele descarregar as suas frustrações pessoais para cima de tudo e todos.
Entristece-me o facto, de ainda darem espaço de antena a este Pseudopinador, ainda mais que ter que ouvir os homens da luta no dito festival. Das inquirições que fiz, ainda que internamente, verifiquei que nenhuma das pessoas inquiridas, sabia de facto com exactidão, quem foram os “digníssimos” representantes portugueses nos anteriores festivais da canção. Agora, também não tenho dúvidas, que ninguém se irá esquecer de quem representou Portugal no festival da canção em 2011.
Claro, que tudo isto tem um enorme senão, que é o facto de os homens da luta, ainda poderem vir a ser desclassificados, tendo por base os regulamentos do mesmo festival que impede toda, e qualquer musica que seja portadora de conteúdo politico, o que não sei bem, se será bem o caso. De qualquer modo, os homens da luta, são, e fazem parte já desta geração, estão intrinsecamente ligados ao descontentamento reinante dentro da geração rasca, e não vejo mal nenhum em representar Portugal na merda do festival que até agora, ninguém ligava nenhuma. Mas, agora que a indignação é geral, toda a gente se esquece da porcaria das músicas que nos representaram no passado, e para as quais toda a gente se marimbou para elas, onde estavam os MST deste pais nessa altura? Estavam todos demasiado preocupados em olhar para o próprio umbigo… como sempre!!!
Somos um país de eternos indignados e eternos inconformados, para não dizer invejosos. Entre os homens da luta, e as outras cagadas em três actos que por lá andavam, prefiro os homens da luta, porque ao menos me divertem… e ainda bem que alguma coisa, ainda me diverte, neste país decadente (com a devida excepção deste governo).
Também me repugna os MST deste país, criticarem a manif, e ainda mais os motivos da respectiva manif do dia 12 de Março próximo, denota uma total falta de respeito para com a luta e os ideais desta geração enrascada, que nada mais buscam que o seu direito a um trabalho digno e condignamente remunerado… como vem aliás expresso na constituição portuguesa. É por isso que estarei na Manif de Sábado, manifestando o meu descontentamento e a minha indignação com o descaramento de uma personagem que nunca me enganou… a saber o F… da P…. Miguel Sousa Tavares.
Para terminar, como alguém disse uma vez: “Fuck Him”

quinta-feira, 3 de março de 2011

A Crise quando nasce, não é para todos....


Desde miúdo sempre ouvi dizer que o sol quando nasce é para todos, mas cada dia que passa me convenço de que a ser verdade, parece-me que ele brilha mais para uns que para outros.

Mas se o sol nasce para todos, o mesmo não se poderá dizer da crise, pois a dita crise parece só ter nascido para alguns, enquanto a grande maioria dos portugueses são, (como dizer isto sem ser acusado de má educação), sexualmente prejudicados por trás, (parece-me ser um termo suficientemente soft para descrever o que em nome da crise nos é feito), pois bem enquanto a maioria dos portugueses sente a crise a sair-lhes do bolso, existe uma minoria a quem a crise parece servir para enriquecerem cada vez mais, senão veja-mos os lucros das grandes empresas portuguesas em 2010, e verifica-se que os mesmos subiram em flecha, seguem alguns exemplos:

- Em primeiro lugar está a PT com um lucro em 2010 de 5672 milhões de euros.

- Em segundo lugar surge a EDP com lucros de 1079 milhões.

- Em terceiro lugar está a Galp com lucros de 306 milhões

Neste ranking não está o sector da banca, porque estes merecem uma análise mas cuidada, pois bem os quatro principais bancos privados portugueses, Banco Espírito Santo (BES), Santander Totta, Banco comercial Português (BCP) e BPI, apenas lucraram 1430 milhões de euros em 2010, mais ou menos o mesmo que em 2009, mas o curioso é que apesar de os lucros de 2010 serem próximos dos lucros de 2009, a verdade é que os bancos pagaram em 2010 menos 54,9% de impostos em relação a 2009,os bancos explicam esta diferença com um maior peso da actividade internacional nos lucros.

Vamos então fazer umas contas por alto, se somarmos os lucros dos quatro principais bancos privados, da PT, EDP e Galp, temos 8487 milhões de euros, posto isto surge uma pergunta, porque não aumentar os impostos sobre os lucros das grandes empresas?

Sim, se o estado reduz os salários dos funcionários públicos, aumenta os impostos, reduz as prestações sociais, porque não obrigar os grandes grupos económicos a contribuir para ultrapassarmos a crise?

Mas não, o governo que quando foi eleito foi com o pressuposto de que governaria para todos os portugueses independentemente da sua conta bancária, parece que o nosso amigo Sócrates se esqueceu desse princípio fundamental da democracia, mas também o que esperar de alguém cuja licenciatura foi obtida de modo pouco claro, o governo na hora de apertar o cinto apenas se lembra dos mais fracos, dos trabalhadores que viram em 2010 o seu poder de compra diminuir, e que em 2011 foram novamente atacados com mais impostos, um autentico terrorismo fiscal, com redução de salários, com redução de prestações sociais.

O caso do aumento do salário mínimo é talvez o mais gritante, como todos se lembrarão, em sede de concertação social foi assinado um acordo que previa que o salário mínimo atingisse os 500 euros em 2011, mas com a desculpa da crise os patrões com a conivência do governo, reduzindo aumento passando o salário mínimo para apenas 485 euros, ou seja para os portugueses que em 2010 ganhavam 475 euros, devido á crise era incomportável para as empresas comportar um aumento de 25 euros, depois verificamos que as grandes empresas têm lucros milionários.

Todos os portugueses devem vir para a rua mostrar a sua indignação contra estas politicas que em vez de tirar o país da crise apenas a aumenta, para que as gerações vindouras não tenham o seu futuro hipotecado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...